Portais de Luz

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Parceria

Facebook
Setembro 2019
SegTerQuaQuiSexSabDom
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Calendário Calendário

Últimos assuntos
» Visconde de Mauá
Análise social EmptyQui Ago 23, 2018 4:18 pm por fernandojorge

» Atendimento Portais de Libertação
Análise social EmptyQui Maio 17, 2018 6:42 pm por Lancelot

» Mago.Hellblazer
Análise social EmptyQui Maio 17, 2018 5:32 pm por Lancelot

» A história da Umbanda
Análise social EmptyQui Dez 21, 2017 11:36 pm por Lancelot

» Espaços mágicos e correntes
Análise social EmptyQua Dez 20, 2017 11:29 pm por Lancelot

» Piano Bar Convívio
Análise social EmptyQua Dez 20, 2017 10:49 pm por Lancelot

» O poder das Pedras Pretas : para limpeza energética e proteção
Análise social EmptyQua Dez 20, 2017 10:46 pm por Lancelot

» Um regresso
Análise social EmptyQua Dez 20, 2017 12:11 pm por Lancelot

» Feliz Natal 2017
Análise social EmptyTer Dez 19, 2017 10:34 pm por Lancelot


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Portais de Luz » Ufologia & Conspirações » Teorias » Análise social

Análise social

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1Análise social Empty Análise social em Dom Nov 24, 2013 5:43 pm

Sirius

Sirius
Caminhante
Transcrevo aqui uma das mais persistentes perguntas que me têm feito:

P(*): Considerando o intervalo temporal Δt = 1 ano, com 2 indivíduos de opostas índoles e acções.
Porque é que em geral, o massa-bruta, o peso-morto (para o planeta), o sacador, o fornicador, o labioso, o gigajogas, o poluidor, o carnívoro, o matador(directa e indirectamente), o despesista, o pecador e o indisciplinado continuam a rir, ao fim de um ano de continuidade nessas acções...[Indivíduo A]
E o lúcido, o auto-controlado, o auto-esculpido, o poeta, o refinado, o 'ecónome', o orante, enfim…o que vê para lá do horizonte, continua chorando? [Indivíduo B]

(*) - Pergunta tipo, síntese da média.

R: Muito abreviadamente porque a resposta - não direi na sua total abrangência porque isso é uma utopia, mas num mais amplo espectro de análise - é de alguma complexidade, inclusive tendo que se recorrer a quadros exemplificativos das várias variáveis que constituem o problema, comento:

No caso em análise, o indivíduo simiesco ‘A’ ao persistir durante 1 ano em contínuo nas supra mencionadas acções, esteve e está, como se diz na gíria popular "a cavar a própria sepultura" e o seu "pagamento" está inexoravelmente reservado, embora se saiba que existem atenuantes consoante o nível de consciência individual.
Qual é a intenção e qual o nível de consciência na prática da acção, são 2 factores inseparáveis na contínua análise superior e posterior justo julgo. Isto serve para todos nós, no actual patamar.
Um dos erros mais comuns é continuar-se a fazer (por ex: continuar a comer cadáveres de animais), por ignorância, o que quase todos fazem num determinado aspecto, julgando que a eventual mudança pessoal na sua actitude não vale a pena, pois em nada vai mudar o curso dos acontecimentos. Esse raciocínio é um erro craso, pois uma pessoa que faça uma acção benéfica com total consciência tem mais repercussão do que milhares de 'cegos'.
Sabe-se que a determinada altura da história pútrida da Humanidade, apenas 1200 monges do monte Athos conseguiram internamente impedir a extinção da mesma... Reflitam sobre isto.

Quanto ao virtuoso ‘B’ que se trabalhou auto-controlando nos níveis materiais, mesmo sem ver quaisquer resultados na matéria, avança unicamente na fé embora tenda a desanimar inúmeras vezes por as coisas serem o que são.
Será que não vale a pena um esforço para se separar da consciência de massa, massa esta que é sinónimo de ignorância? Certamente que vale, pois nenhum trabalho é em vão.
Vejamos:Existe uma Lei dos Ciclos, que abrange a tudo e a todos, de forma consciente ou não pelo receptor, que poderá ser exprimida pela seguinte analogia; Dois surfistas encontram-se a flutuar ao mesmo tempo nas suas pranchas, em diferentes praias usufruindo de uma fase de acalmia (ou fim de ciclo), que antecede à nova série de ondas.
O surfista 'A' usufrui de um cenário de 'fartura' material, que resulta entre outros, de um misto de merecimento anterior (no geral inconsciente), de prova (porque os que têm em supérfluo estão subtraindo dos que não têm), de habilidade (entenda-se explorar os mais fracos) dentro do jogo da decadente economia mundial, e polarização do pensamento praticamente na sua totalidade nos níveis denso-materiais.
O merecimento, desempenha aqui um factor primordial e fulcral ao nível do surgimento da(s) oportunidade(s).
Pode-se até ser o maior Doutor do mundo, que se não surgir uma oportunidade firmada(activa ou passivamente), neste contexto 'não se é nada'. Nunca se esqueçam desta frase!
Doravante quando ouvirem dizer, aquele fulano é Director, ou aquele fulano é Juíz, ou aquele outro é enfermeiro-chefe, não se trata primordialmente do valor intrínseco da pessoa, mas sim da oportunidade que lhe foi dada.
Temos como exemplo disso, que qualquer pessoa de média formação pode desempenhar satisfatoriamente ou até mesmo com brio, o cargo de deputado, caso lhe fosse dada a oportunidade e caso tivesse disposto(a) a esse sacrifício.

A nova série de ondas que se aproxima, faz já parte de um novo ciclo sinusoidal, denominado de ascensão para o ‘B’ e de decadência para o ‘A’, que aqui os menciono em paralelo como medida de simplificação.
Ao inexoravelmente atingirem ambos os surfistas, ao ‘B’ sucedem-se em catapulta uma nova série de acontecimentos positivos na vida (reais e firmadas oportunidades), num curto período temporal, renovando-lhe a fé, e constituindo cumulativamente uma nova prova que ainda é mais difícil que a precedente, visto os tempos serem agora de abundância (ao contrário do que comummente se pensa).
Já agora menciono que a fé, que não é mental, em periodos de abundância não assume a mesma relevância e dentro de uma certa perspectiva - Valor algum tem.
Quanto ao ‘A’, entra num vórtice descendente e acelerado de infortúnios quer materiais e/ou físicos, com quaisquer ajudas externas servindo apenas de paliativo. A um certo momento da 'queda', (entenda-se reequilíbrio) no geral recorre a ajudas externas não convencionais, e mesmo dentro de um cenário de aparente decadência física e/ou material, novas portas vocacionadas ao pensamento abstrato e imaterial se abrem, proporcionando desta forma algumas descritalizações aos que se querem transformar.

Este exemplo serve para a grande maioria, existindo amplitudes sinusoidais cíclicas, quase imperceptível nos indivíduos já muito trabalhados e desapegados (ex: certos monges).
A vida nesses casos é um contínuo serviço, a paz flui com naturalidade no ser, e eventuais moléstias e tribulações na personalidade são actos de oferta de núcleos muito profundos, para reequilibrios externos, e como alvo prioritário de forças que incidem sobre os que em consciência se elevaram deste teatro decadente.

Mesmo dentro do mal se pode (e deve) ver o bem.

2013, Sirius

Ver perfil do usuário

2Análise social Empty O último momento em Dom Nov 24, 2013 6:13 pm

Sirius

Sirius
Caminhante
O ÚLTIMO MOMENTO (Ou sobre o dever)
por Sirius

~Preâmbulo~

O fim deste ciclo aproxima-se, e os mais atentos já vêem o começo da Justa Purificação.
Por isso não é mais hora de omissões, meias palavras e diplomacias, porque o tempo urge.

Em primeiro lugar há que se ter sempre presente que esta Humanidade de superfície é uma manada desenfreada, controlada por forças involutivas, que está acabando com a vida no planeta.
Submersa em fortes formas-pensamento, vive numa série de enganos, entre os quais um dos mais prementes é o de imbuírem a mente da maioria com a forma-pensamento que é 'obrigatório' ter-se filhos, quando na realidade a minoria é que deveria ter o serviço de propagação da espécie.
Têm-os por tradição, costume, vício ou engano, muitas vezes em cenários económicos familiares precários - mas por orgulho esforçam-se por transmitir a imagem oposta -, enchendo o planeta de almas desejosas de usufruto (por afinidade aos pais), aumentando exponencialmente a concorrência em todos os sectores e baixando o já paupérrimo nível desta Humanidade, só para mencionar algumas consequências.
Numa fase inicial usam-nas para usufruto próprio e montra para os outros - fase de muito riso e pouco ciso - e na fase terminal esperam - num contexto mais ou menos explícito de 'troca comercial' -, servidão das mesmas.
Reflictam sobre isso.

~Condutas para transformação~

É na oração contínua que a Misericórdia Divina poderá descer sobre a miséria humana.
É imperioso que nesta recta final, pelo menos os mais lúcidos se auto-disciplinem, ou seja:
Reciclem o lixo que produzem; Cultivem o silêncio na palavra e pensamento (a Humanidade não ama o silêncio, basta ver pelas conversas desnecessárias e o barulho que ficam produzindo a toda a hora...até no acto de baixarem os estores das janelas , batendo-o contra o parapeito quando cai a noite, fazem barulho!); Foquem a mente em Deus; Ajudem o próximo (quer seja um irmão humano, animal, vegetal ou mineral); Desapeguem-se de tudo o que é material; Pratiquem o celibato purificador; Desliguem a TV; Pratiquem o jejum contínuo (agradecer sempre a Deus a comida que vem e comer com moderação); Tornem-se vegetarianos, já pensaram nos milhões de animais que matam por dia para satisfazerem nossos instintos carnívoros? (a Humanidade come cadáveres desde o tempo das cavernas, que 'evolução' hein?);

Controlem a energia sexual e monetária.
O descontrole dessas energias fez e faz com que todo o mundo fique tendo filhos, quando na realidade a minoria é que devia ter filhos (<10%). Esse descontrole, por ignorância, deu origem a esta superpopulação que está aí e consequente produção de baixa qualidade, com os inúmeros problemas que isso acarreta para o planeta (que é um ser vivo) e para todos os Reinos. Como podem depreender, o mundo está cheio de gente que não devia ter nascido, mas sim, terem permanecido noutros planos de consciência recebendo cura e instrução, em vez de terem sido puxados para a matéria.
Depois se vê os conflitos permanentes nos núcleos familiares, pais que empurram os filhos para os avós porque não têm tempo, pais que não sabem ser pais, filhos que ganham ódio aos pais, o incutir-se às crianças de mais tenra idade o sentido de posse, o pensamento totalmente voltado para o material, o ter que ter filhos quando chegar a hora, o ter que produzir de preferência em profissão de gordo soldo, etc, etc...
Será que é assim tão difícil de compreender que, se houvessem 8 pessoas para 10 lugares o mundo estava muito melhor? É preciso eu fazer um desenho?..

O propósito da vida não é ficar tendo filhos, mas sim procurar a Deus com todas as nossas forças e estudar profundamente os assuntos espirituais. Lembrem-se: "Procura primeiro o Reino de Deus dentro de ti, tudo o mais ser-te-á dado por acréscimo".

Outra incómoda verdade é: A grande maioria das profissões não servem para nada, ou melhor, servem o supérfluo e a involução, e se não existissem o mundo estava bem melhor.
Mas, como referi, são aos milhões os que são puxados para a matéria por dia, e um dia de alguma forma terão que obter o sustento. Pensem sobre esta verdade inconveniente... A Lei Maior é não matar, mas sempre poderia haver auto-contenção por amor ao planeta, que até parece uma utopia para esta Humanidade que faz continuamente o oposto. Por isso e muito mais, que ninguém se admire dos acontecimentos que surgirão.

A crescente liberdade pessoal especialmente desde os anos 90, fez com que as peles de cordeiro caíssem, revelando cada personalidade sua índole, com a consequente exteriorização de um amplo espectro de 'taras' e aberrações comportamentais, facilitando de sobremaneira (numa perspectiva de auto-consciência do erro - em flash - na hora do Juízo) a posterior separação entre o joio e o trigo.
Para os que duvidam do controle permanente que as forças involutivas fazem sobre esta massa-humanidade, basta persistirem com consciência num acto oposto ao comummente aceite e aí as sentirão actuar em si (Exemplo: Com sinceridade ofertem ao Único um período de celibato e castidade, como equilíbrio da promiscuidade geral).
E porque não as sinto neste momento? - Porque como se anda no geral de mãos dadas com elas, fazendo-lhes todas as vontades referentes ao consumismo, ao gozar e usufruir a vida, ao despesismo e à promiscuidade, elas gostam muito de ti, pois és um joguete manso em suas mãos!
Não basta só orar, há que agir sem inércia. Um grande instrutor da Humanidade disse: "Pensai como é cruel a condição dos animais. Assim, começareis a apiedar-vos dos inferiores". Por isso vamos reflectir sobre o enorme sofrimento que há no mundo...Depredação por parte do Homem dos Reinos Mineral, Vegetal e Animal. A Única Mente nunca dorme e tudo vê...Nunca se esqueçam disso!...Porque o Justo Juíz virá mais próximo do que se imagina. Em verdade, os seus emissários já estão aí, apenas esperando ordem para avançar...E essa Hora Santa, apenas a mente de Deus conhece quando será. Nesses momentos terminais, que já estão próximos, cada um será levado para o sítio afim de sua mais íntima escolha e de seu merecimento...E na hora da terminada, onde se verá loucura pelas ruas (quase todos loucos), os que se trabalharam e purificaram, têm como último serviço o actuar conforme a frase de Cristo: "Quem quiser salvar a sua vida a perderá, e quem se esquecer de si mesmo (ajudando seus irmãos que estão mergulhados no pânico, desespero e loucura) a ganhará". Reflictam sobre isso...

E nesta quadra de Natal, deixo a todos a seguinte mensagem: "Quando deres, não toques a trombeta diante de ti como fazem os hipócritas nos templos e nas ruas para serem louvados pelos homens. Quando deres, que a tua mão esquerda não saiba o que fez a direita, assim, a tua doação se fará em segredo e o teu Pai que vê o escondido, saberá".


_________________
indikando "Se não for por algo de pesado... Não percas tempo com isso"
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum