Portais de Luz

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Parceria

Facebook
Palavras chave

Cordões  amuletos  energia  fria  energéticos  quente  

Janeiro 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    

Calendário Calendário

Últimos assuntos
» A história da Umbanda
Qui Dez 21, 2017 11:36 pm por Lancelot

» Espaços mágicos e correntes
Qua Dez 20, 2017 11:29 pm por Lancelot

» Piano Bar Convívio
Qua Dez 20, 2017 10:49 pm por Lancelot

» O poder das Pedras Pretas : para limpeza energética e proteção
Qua Dez 20, 2017 10:46 pm por Lancelot

» Um regresso
Qua Dez 20, 2017 12:11 pm por Lancelot

» Feliz Natal 2017
Ter Dez 19, 2017 10:34 pm por Lancelot

» O atomo sob a Luz da Clarividencia
Qui Set 14, 2017 9:01 pm por Lancelot

» Piano Bar Convívio
Qui Set 14, 2017 9:00 pm por Monge Copista

» Uma frase por dia - Um pensamento para a vida.
Qua Set 13, 2017 12:25 pm por Monge Copista


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Portais de Luz » Religiões » Umbanda » A Primavera da alma

A Primavera da alma

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 A Primavera da alma em Sex Jun 13, 2014 9:35 pm

“A mudança só é verdadeira quando acontece de dentro para fora.”

Hoje acordei reflexivo, pensando sobre tudo que acontece ao nosso redor e as consequências que trazem para nossa vida. Sobre as decisões que tomamos, as posturas que adotamos, como reagimos… Em que reflete tudo isso? Quais seus objetivos?

Muitas das guerras que enfrentamos (ou criamos) em nossas vidas são em nome de uma “verdade”, de algo que acreditamos com tanta força que é necessário externá-la e batalhar por sua manutenção.

Mas será que isso é realmente necessário?

Não existe uma única verdade! Não existe uma verdade absoluta, mas sim a NOSSA verdade, que é ÚNICA para cada indivíduo. Batalhar por ela é batalhar por nossos egoísmos, pela nossa necessidade de autoafirmação e autopreservação. Além disso, colocar nossa verdade como única e em combate como sendo superior que a de outro irmão é a prova maior de nossa vaidade, de nossa pequenez em não reconhecer o processo pelo qual este irmão passou para construí-la que, inevitavelmente, é muito semelhante ao que passamos.

Para que servem as guerras senão para a extinção de propósitos distintos? Seria esse o objetivo da caminhada espiritual? Combater verdades contrárias ao invés de convergi-las para o propósito do Amor? Construímos mais promovendo batalhas ou semeando amor?

Se fomos mesmo preenchidos pelo sentimento de comunhão com o Um, não é mais fácil falar do que sentimos ao conhecê-Lo do que tentar desconstruir a consciência alheia? Não é melhor deixar que os outros também sintam o mesmo que nós pelos seus próprios meios? Com suas próprias descobertas?

Assim como buscamos nosso lugar no infinito outros também o fazem, mas cada um pela sua própria estrada. Nenhum caminho é igual, e ninguém pode passar pelas provas ou experiências do outro.

Troquemos as batalhas vaidosas pelas caminhadas conjuntas, os conflitos pelos abraços. Abandonemos as guerras de verdades pela semeadura do amor. A necessidade de convencer pela beleza do SENTIR.

Poderemos, um dia, sermos borboletas, mas ainda estamos longe de abandonarmos nossos casulos.

Que os bons ventos transformem nossos corações.

Por Peterson D., inspirado por C.V.

Ver perfil do usuário http://portaisdeluz.forumeiros.com

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum