Portais de Luz

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Parceria

Facebook
Palavras chave

energéticos  mundo  quente  Cordões  livros  fria  energia  amuletos  

Abril 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Calendário Calendário

Últimos assuntos
» Atendimento Portais de Libertação
Ter Mar 13, 2018 2:24 pm por Salomão

» Mago.Hellblazer
Ter Mar 13, 2018 12:13 am por Salomão

» A história da Umbanda
Qui Dez 21, 2017 11:36 pm por Lancelot

» Espaços mágicos e correntes
Qua Dez 20, 2017 11:29 pm por Lancelot

» Piano Bar Convívio
Qua Dez 20, 2017 10:49 pm por Lancelot

» O poder das Pedras Pretas : para limpeza energética e proteção
Qua Dez 20, 2017 10:46 pm por Lancelot

» Um regresso
Qua Dez 20, 2017 12:11 pm por Lancelot

» Feliz Natal 2017
Ter Dez 19, 2017 10:34 pm por Lancelot

» O atomo sob a Luz da Clarividencia
Qui Set 14, 2017 9:01 pm por Lancelot


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Portais de Luz » Religiões » Umbanda » Mediunindade e Obsessão

Mediunindade e Obsessão

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Mediunindade e Obsessão em Dom Mar 16, 2014 8:57 pm

A mediunidade exercida com responsabilidade jamais conduz à obsessão.

A obsessão, quase sempre, é um problema cármico que a mediunidade bem orientada auxilia a resolver.

Muitos medianeiros idôneos principiaram o seu desenvolvimento experimentando o assédio de espíritos obsessores, ao passo que diversos sensitivos invigilantes caíram, mais tarde, nas malhas da perturbação espiritual, tornando-se presas de entidades que pelejam contra a Luz.

Sendo instrumento de iluminação para as criaturas imersas nas sombras da própria ignorância, é natural que a mediunidade seja combatida nos que ela se dedicam.

Os espíritos obsessores apenas “incomodam” os que estejam a incomodá-los; as pessoas espiritualmente comodistas e apáticas estão como os espíritos obsessores desejam que fiquem e, por isso mesmo, desfrutam de aparente tranqüilidade.

Fazemos este esclarecimentos porque nos é comum registrar queixas de médiuns, na alegação de que as suas lutas pessoais recrudesceram depois que se entregaram à pratica metódica do Espiritismo.

Quanto maior o valor da tarefa que um médium desempenhe no mundo, maior será a perseguição que as hostes invisíveis das travas lhe moverão, tanto maior também será a tutela que os Benfeitores Espirituais lhe consagrarão.

De modo que o medianeiro a serviço do Cristo não terá razão de sentir-se apenas a mercê dos adversários da tarefa enobrecedora que executa; os Mensageiros do Bem não o abandonam e permanecem tomando as providencias necessárias a fim de ampará-lo no cumprimento do dever cotidiano.

Não nos esqueçamos, todavia, de que a invigilância do médium não raro abre as brechas em suas defesas, tornando-o mas acessível às influencias negativas, porque tudo é simplesmente uma questão de sintonia.

Os Espíritos Amigos carecem do concurso do médium para agir em beneficio do próprio médium que necessitam socorrer. Quando o médium não lhes oferece, sequer, mínima condição de sintonia, através da prece, do pensamento elevado ou da vontade de melhorar, é como alguém chamado a remover pesado obstáculo, sem mãos para efetua-lo…

Quando o Evangelho se encontrava na fase de implantação na Terra, os primeiros cristãos pagaram alto preço pelo seu idealismo. Durante trezentos anos, pereceram nos circos romanos, testemunhando a fé com a própria vida.

Hoje, os espíritas, e mais particularmente os médiuns, devem dar a sua cota de sacrifícios pela causa do Evangelho Redivivo. Não há mais necessidade de morrer nos espetáculos públicos, mas sim de continuar a sofrer pelo triunfo da Verdade!

A história do Espiritismo, quanto a do Cristianismo o foi, deverá ser escrita no mundo com lágrimas de seus mártires.

Quanto a isto, alimentemos ilusões!

Levando nas mãos o facho resplendente da mediunidade, o médium, onde estiver, se sentirá rodeado pelas trevas do preconceito e da descrença, do escárnio e da tentação que haverão de tramar sempre para eclipsar a Luz de que se faz emissário.

No entanto é imprescindível preservar.

Apesar de todas as lutas que faceie, o médium não deve retroceder, convicto de que, iluminando caminhos, terminará por iluminar a si mesmo!

RETIRADO DO LIVRO : MEDIUNIDADE E OBSESSÃO – CARLOS A. BACCELLI e ODILON FERNANDES

Ver perfil do usuário http://portaisdeluz.forumeiros.com

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum