Portais de Luz

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Parceria

Facebook
Novembro 2018
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Calendário Calendário

Últimos assuntos
» Visconde de Mauá
Qui Ago 23, 2018 4:18 pm por fernandojorge

» Atendimento Portais de Libertação
Qui Maio 17, 2018 6:42 pm por Lancelot

» Mago.Hellblazer
Qui Maio 17, 2018 5:32 pm por Lancelot

» A história da Umbanda
Qui Dez 21, 2017 11:36 pm por Lancelot

» Espaços mágicos e correntes
Qua Dez 20, 2017 11:29 pm por Lancelot

» Piano Bar Convívio
Qua Dez 20, 2017 10:49 pm por Lancelot

» O poder das Pedras Pretas : para limpeza energética e proteção
Qua Dez 20, 2017 10:46 pm por Lancelot

» Um regresso
Qua Dez 20, 2017 12:11 pm por Lancelot

» Feliz Natal 2017
Ter Dez 19, 2017 10:34 pm por Lancelot


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Portais de Luz » Religiões » Umbanda » Sobre a Umbanda

Sobre a Umbanda

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Sobre a Umbanda em Dom Set 09, 2012 5:50 pm

F3b0

avatar
Aprendiz
Saudações amigos, vou explicar um pouco sobre a minha religião.

A umbanda é uma religião nova. Neste ano completará 104 anos de existência.
Ela é sincrética e absorveu conceitos, posturas e preceitos cristãos, indígenas e afros, pois estas três culturas religiosas estão na sua base teológica e são visíveis ao bom observador.
A data inicial da Umbanda é um marco: a manifestação do Senhor Caboclo das Sete Encruzilhadas no médium Zélio Fernandino de Moraes ocorrida no ano de 1908, diferenciando-a do espiritismo e dos cultos de nação do candomblé. A Umbanda tem suas raízes nas religiões indígenas, africanas e cristã mas incorporou conhecimentos religiosos universais pertencentes a muitas outras religiões.
Umbanda é o sinônimo de prática religiosa e magística caritativa e não tem a cobrança pecuniária como uma de suas práticas usuais.
A Umbanda não recorre aos sacrifícios de animais para assentamentos e muito menos para os recursos ofertatórios às divindades, pois recorre a oferendas de flores, frutos, alimentos e velas.
A fé é o principal fundamento religioso da Umbanda. A Umbanda não é uma seita, e sim uma religião. Ela tem na mediunidade de incorporação a sua maior fonte de adeptos e o seu principal mecanismo de prática religiosa. É uma religião espírita e espiritualista. Espírita porque está em parte fundamentada na manifestação dos espíritos guias. E espiritualista porque incorporou conceitos e práticas espiritualistas (referentes ao mundo espiritual), tais como magias espirituais e religiosas, cultos aos ancestrais divinos, culto religioso aos espíritos superiores da natureza, culto aos espíritos elevados ou ascencionados e que retornam como guias-chefes para auxiliar na evolução das pessoas que freqüentam os templos de Umbanda.
A Umbanda respeita as outras religiões, pois vê elas como legitimas representantes de Deus e vê todas como ótimas vias evolutivas criadas por Ele para acelerarem a evolução da humanidade.
A Umbanda não adota práticas agressivas de conversão religiosa, pois estes procedimentos são um violência consciencial. Não exigimos conversão religiosa.
A Umbanda prega a existência de um Deus único e tem nessa sua crença o seu maior fundamento religioso, ao qual não dispensa em nenhum momento nos seus cultos religiosos e, mesmo que reverencie as divindades, os espíritos da natureza e os espíritos ascencionados, não os dissocia D’Ele, o nosso Pai Maior e nosso Divino Criador.

Estas são as palavras do Caboclo das Sete Encruzilhadas sobre a Umbanda:
“Filhos na fé em Oxalá, saudações desse humilde caboclo a todos vocês, aos quais peço as bênçãos do nosso Pai Maior, que é Deus!
Recebam esta religião como uma “Revelação Divina” porque é o que ela é. Saibam todos que não fui o único fundador da Umbanda no Brasil, mas tão-somente um dos muitos espíritos aos quais foi confiada a missão de desvincular tanto do Espiritismo quanto do Candomblé as manifestações de Umbanda Sagrada.
A miscelânea de manifestações espirituais no inicio do século XX era tão intensa que, ou concretizávamos logo a nascente religião ou mais adiante tal tarefa seria impossível. Se é memorável a minha manifestação em meu médium Zélio Fernandino de Morais, no entanto muitos outros mentores espirituais da Umbanda já se manifestavam em seus médiuns realizando um trabalho meritório nas mais distantes localidades desse imenso pais chamado Brasil, sede espiritual de todo o astral da religião de Umbanda.
Se fui privilegiado ao desvincular publicamente a Umbanda do Espiritismo e do Candomblé, no entanto não sou o único a ser aclamado, pois muitos mentores espirituais já vinham fazendo isto discretamente com seus médiuns, que um dia dançavam para os orixás e noutro trabalhavam com os amáveis pais-pretos, aos quais incorporavam para que eles dessem consultas num canto dos barracões onde se realizavam os cultos ancestrais. Minhas reverências aos amados pais-pretos-velhos, detentores de méritos Divinos diante dos sagrados orixás, as nossas divindades de Deus! Mas havia também a manifestação dos temidos pajés, que são os nossos amados pais da terra, que possuíam seus médiuns de forma estabanada, bravios e carrancudos, como são até hoje.
Eles já atraíam aos seus trabalhos pessoas das mais diversas classes sociais, pois realizavam milagres com seus maracás, suas rezas indígenas e suas receitas infalíveis. Minhas reverências aos amados pais da terra, detentores de méritos Divinos diante dos sagrados orixás, as nossas divindades de Deus! Havia, também, a manifestação dos temidos senhores da “quimbanda”, os nossos respeitados irmãos exus, que também incorporavam em seus médiuns e fascinavam quem os via e ouvia, pois eram, são e sempre serão incisivamente “humanos”.
Minhas reverências aos nossos queridos, amados e respeitados Exus da Lei da Umbanda Sagrada, detentores de méritos diante de Deus, da sua Lei Maior e da sua Justiça Divina, já que são os esgotadores naturais de carmas individuais dentro do Ritual de Umbanda Sagrada. Também havia muitas outras manifestações espirituais, tais como as dos mestres do catimbó, dos Xangôs, das mesas, etc., que aconteciam mais no norte e nordeste do País, e que acontecem até hoje, pois prestam um inestimável trabalho de espiritualização de pessoas carentes de todos os níveis sociais e culturais. Minhas reverências aos mestres e rezadores, detentores de méritos Divinos diante dos sagrados orixás, as nossas divindades de Deus!”

Sou sacerdote e ogã. Este pequeno texto foi compilado com auxilio de alguns livros Umbandistas, principalmente o Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada do mestre Rubens Saraceni.

Ver perfil do usuário

2 Re: Sobre a Umbanda em Ter Nov 27, 2012 3:16 pm

Digamos mais um pouco, meu caro F3b0.

Cada Terreiro de Umbanda é uma casa aberta no auxilio das várias dores do ser humano, sejam elas físicas, materiais, mentais, emocionais, etc.
Todos, todos mesmo,
São acolhidos e encaminhados há luz da Lei Maior e Justiça Divina, através dos guias que descem humildemente para orientar cada um.
Seja ele branco ou negro, homem ou mulher, pobre ou rico, católico ou muçulmano, etc.


Saudações.

Ver perfil do usuário http://portaisdeluz.forumeiros.com

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum